DESTAQUES

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

BOO! Você tem medo de Halloween? Venha comigo conhecer esse mundo de fantasias,sustos e travessuras.

É na noite do dia 31 de outubro que um dos mais famosos feriados do mundo é comemorado: o Halloween, conhecido no Brasil como Dia das Bruxas.Na realidade, Halloween é o “fast mode” da expressão “All Hallows’ Eve”, que significa “noite de todos os santos”.

*Origem do Halloween

Acredita-se que a maioria das tradições de Halloween tenham se originado nos antigos festivais celtas chamados Samhaim, que marcavam a passagem de ano e a chegada do inverno. Para os celtas, o início do inverno representava a aproximação entre o mundo e o “Outro Mundo”, onde vivem os mortos.

A tradição do Halloween foi levada pelos irlandeses aos Estados Unidos, onde a data é considerada feriado.

*No Brasil 

No Brasil, o Halloween é marcado principalmente por festas à fantasia e por decorações em bares, lanchonetes e outros estabelecimentos, que adotam a temática de monstros, vampiros, bruxas,grande parte da tradição de Halloween no Brasil é influenciada por cursos de idioma que promovem a data como forma de inserir os alunos na cultura dos países de língua inglesa.

 SÍMBOLOS DO HALLOWEEN

A Abóbora

Segundo a lenda, as almas dos que morrem ao longo do ano voltam para tomar os corpos dos vivos no ano que se inicia. Um dos rituais mais marcantes da festa são as fogueiras acesas nas casas durante as comemorações. Os vivos que não querem ser possuídos apagam o fogo para que o local pareça ser frio e indesejado, além de se vestirem com fantasias de criaturas assustadoras e desfilarem na vizinhança para afugentar os espíritos que vagavam.

Abóboras e as velas:As abóboras simbolizam fertilidade e sabedoria, já as velas, servem para iluminar o caminho dos espíritos. 

Segundo a lenda, Jack era um homem que gostava muito de beber e em uma noite de exageros, ele se encontrou com o diabo e o aprisionou em vários lugares, até o dia em que morreu por conta da bebida. De tanto humilhar o diabo em vida, sua entrada no céu e no inferno foram negadas e a partir daí, sua alma vagava pelo mundo, até ele começar a utilizar as abóboras iluminadas para fugir da escuridão.

O Caldeirão

Representa sorte, amor e evolução. Muitas tradições dizem que ao ver um caldeirão precisam atirar uma moeda ou mensagens escritas com pedido de paz para aqueles que já morreram.

Doces ou travessuras

Dentre as atividades mais comuns encontra-se a prática norte-americana do “doce ou travessura” (trick or treat, em inglês).

A brincadeira, que surgiu nos Estados Unidos, consiste em andar fantasiado pela vizinhança e bater de porta em porta dizendo a tal frase à espera de receber doces, caso contrário é feita uma travessura a quem negar dar guloseimas.

O gato preto

 Os gatos pretos – Símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Universo e para outras pessoas os gatos pretos, surgem em decorrência da sua associação à maldição e ao azar.

Vassouras

Segundo as lendas levadas pelos colonizadores aos Estados Unidos, as bruxas participavam de comemorações realizadas pelo diabo, que aconteciam em 30 de abril e 31 de outubro.

Vassouras

Além de ser o famoso meio de transporte das bruxas, ela também representa o poder feminino, tendo a capacidade de limpar tudo aquilo que traz negatividade para a vida, como por exemplo pensamentos ruins e eletricidade.

As aranhas

As aranhas representam o destino e o fio que tecem suas teias, o suporte para seguir em frente.

Os morcegos

Conjuntamente o morcego e o vampiro fazem parte das festividades de Halloween, sendo assim um dos seus principais símbolos.

A estes é atribuído um aspecto igualmente assombrador. Associa-se com tudo o que for relativo ao noturno, em especial as trevas e ao sombrio. 

É isso pessoal,comemorando ou não o Halloween,que tenhamos todos respeito pela cultura seja de qual país for e muito cuidado nessa noite,pois as bruxas,os zumbis em busca de vingança e todos os seres da noite estarão à solta.

Feliz Halloween e aceito os doces na minha casa,um abraço!

Amor,Gratidão e fé.

Débora Barroso

sábado, 27 de outubro de 2018

Fossa das marianas O local mais fundo e assustador do oceano.

A Fossa das Marianas é um ambiente muito frio e altamente pressurizado, a pressão é mais de 1.000 vezes maior que a pressão que sentimos ao nível do mar. Apesar destas condições inóspitas do fundo do mar, é o lar de milhares de espécies de invertebrados e peixes incomuns. Estes incluem espécies mais comuns, como solha e linguado, bem como o bizarro peixe-pescador, que usa uma protusão bioluminescente (luz produzida por um organismo vivo) para atrair sua presa.

A primeira visita tripulada à fossa das Marianas, foi realizada pelo norte-americano Don Walsh e o suíço Jacques Piccard, em 1960, a bordo do batiscafo Trieste. Em 2012, o diretor de cinema James Cameron repetiu a façanha, se tornando a primeira pessoa a chegar lá sozinha.

A Fossa das Marianas é o local mais profundo de todos os oceanos. Com uma profundidade aproximada de 11.034 metros.

 O primeiro estudo completo do local se deu em 1951, pelo “Challenger II”, um batiscafo (aparelho próprio para exploração de grandes profundidades) da marinha Britânica que registrou sua profundidade. teria se formado há mais ou menos 6 e 9 milhões de anos atrás na região de encontro das placas tectônicas das Filipinas e do Pacífico, próximo a região das Ilhas Marianas.

É muito lunar, muito desolado, muito isolado, afirmou o cineasta canadense,Senti como se, no espaço de um dia, tivesse ido a outro planeta e voltado, afirmou Cameron.

A experiência de descer ao “enorme abismo” dos oceanos foi, segundo ele, como “cair na escuridão, é algo que um robô não pode descrever”.

 A pressão da água no fundo da fossa é de esmagadoras oito toneladas por polegada quadrada, o equivalente a milhares vezes a pressão atmosférica padrão no nível do mar.

Devido à profundidade extrema, a Fossa das Marianas fica em escuridão perpétua e a temperatura se situa sutilmente acima da de congelamento.

Se o Monte Everest, o ponto mais alto da Terra, com 8.850 m de altitude, fosse colocado na Fossa das Marianas, ainda restariam mais de 2.000 m de água acima dele,imaginem isso minha gente,é muito fundo mesmo,um enorme abismo.

O Deepsea Challenger é um submersível de mergulho profundo e foi construído especialmente para a aventura de Cameron na fossa das marianas.


Como se trata de um lugar único e tão isolado é bem provável que exista criaturas que possuem aparência bastante estranhas vivendo por lá,vem comigo conhecer algumas dessas criaturas.

É o Dumbo Octopus e pode chegar a medir 30cm.


Esse é o Barreleye Fish, ele possui uma cabeça transparente que se acredita que serve para aumentar a iluminação ao seu redor.


Tubarão Goblin (Goblin Shark)


Peixe-pescador Demônio do Mar (Seadevil Anglerfish)


Esse peixe com aparência assustadora é o Deep-sea Dragonfish.


 Existem muitas outras criaturas peculiares vivendo nas profundezas da fossa e em todo o oceano.

Muitos mistérios envolvem o nosso mundo,os oceanos e quem realmente sabe ao certo o que poderemos encontrar ainda...

Tudo pode ser possível e complexo para o nosso entendimento.

Vão surgir muitas pessoas ainda ao longo do tempo para tentar desvendar os segredos dessa fossa,O explorador russo Fyodor Konyukhov é uma dessas pessoas que está se preparando para ir até o fundo da fossa das Marianas,em um submersível que será construído especialmente para esse fim, segundo afirmou o chefe da expedição, Sergei Sergeev.

Vamos esperar por novas descobertas e que esse passeio seja mais um sucesso para ajudar na compreensão e nos estudos sobre os seres abissais e sobre a imensidão dos nossos oceanos.

Até a proxima...

Amor,Gratidão e fé.


Por Débora Barroso

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: O livro de Dzyan Verdade ou farsa?

(Foto: Reprodução)

O Livro de Dzyan se encontra entre os chamados escritos sagrados da humanidade, ainda que seja um texto mais comentado do que realmente conhecido. De sua origem, pouco se sabe. As informações que se possui não se referem a sua data, mas dizem que é mais antigo que a própria Terra. São pergaminhos de origem tibetana citados por Helena Petrovna Blavatsky em seu livro "A Doutrina Secreta", que é uma obra teosófica. Blavatsky alegava que teria tido acesso e estudado estes pergaminhos em sua estada no Tibete.

Circulam rumores de que uma cópia do livro original está escondida em um monastério do Tibete, mas ninguém ainda conseguiu comprovar sua existência. As poucas pessoas que o leram enlouqueceram e morreram, vítimas de terríveis pesadelos.

O texto de Dzyan tem a forma de poesias, ou stanzas que contam a origem da humanidade desde seu início e cobre desde a pré-história até o florescimento de civilizações perdidas. O tratado afirma que existiram quatro raças que deram origem à humanidade atual.

A primeira raça constituída por seres etéreos que viviam em Vênus antes que um desastre condenasse o planeta. A segunda por uma raça de monstros humanóides estúpidos para a qual a raça original migrou sua consciência, a terceira teriam sido os habitantes do continente de Lemúria, a quarta a dos atlantes e a quinta seria a nossa raça atual.

(Foto: Reprodução)

A versão original de Blavatsky

Ao se basear no Livro de Dzyan para escrever "A Doutrina Secreta", Madame Blavatsky teria censurado alguns trechos por considerar o conhecimento ali contido potencialmente perigoso.

Edições mais antigas podem conter a descrição de magias e rituais criadas pelas civilização atlante. As versões Poliglota e Chinesa contém Invocar a Criança da Madeira (Invocar Cria de Shub-Niggurath), Invocar o Espírito do Fogo (Invocar Vampiro de Fogo), Invocar Espírito da Água (Contatar Profundos), Invocar aquele que vaga pelos planos (Invocar Andarilho Dimensional), Invocar Espírito do Ar (Invocar Byakhee), Visões de Sonhos (Contatar Cthulhu). 

A versão em inglês traduzida por Dee, contém os rituais acima que o guardião achar adequados. A edição de Blavatsky via de regra não possui magias, a não ser que o Guardião queira colocar um ritual em suas páginas.

As Estâncias de Dzyan, são uma velha compilação de antiqüíssimas lendas orientais, conservadas pela tradição oral até que surgiu a escrita. O livro foi escrito há pelo menos 3.000 anos atrás, mas alguns estudiosos julgam que alguns dos fatos nele descritos remontam há até 10 mil anos. Seja como for, existe neste livro uma passagem impressionante que relata, com riqueza de detalhes, a vinda a Terra de homens do espaço:

 "Um grupo de seres celestes veio à Terra a muitos milhares de anos atrás num barco de metal que antes de pousar circulou a Terra várias vezes. Estes seres estabeleceram-se aqui e eram reverenciados pelos homens entre os quais viviam. Com o tempo, porém, surgiram rixas entre eles, e um determinado grupo separou-se, indo se instalar em uma outra cidade, levando consigo suas mulheres e seus filhos".

"A separação não trouxe a paz e sua ira chegou a tal ponto que um dia o governante da cidade original tomou consigo um grupo de homens e viajando num esplendoroso barco aéreo de metal voaram para a cidade do inimigo. Ainda a grande distância lançou contra ela um dardo flamejante que voava com o rugido de um trovão. Quando ele atingiu a cidade inimiga destruiu-a numa imensa bola de fogo, que se elevou ao céu, quase até as estrelas".

Ainda no texto, todos os que estavam na cidade pereceram horrivelmente queimados:
"Os que estavam fora da cidade, mas nas suas proximidades, morreram também. Os que olharam para a bola de fogo ficaram cegos para sempre. Aqueles que mais tarde entraram a pé na cidade adoeceram e morreram. Até a poeira que cobria a cidade ficou envenenada, assim como o rio que passava por ela. Ninguém mais voltou a se aventurar lá e seus escombros acabaram sendo destruídos pelo tempo e esquecidos pelos homens. Vendo o que tinha feito contra sua própria gente, o chefe retirou-se para seu palácio, recusando-se receber quem quer que fosse. Dias depois reuniu os homens que ainda lhe sobravam, suas mulheres e filhos, e embarcaram todos nos navios aéreos. Um a um, afastaram-se da Terra para não mais voltar".

(Foto: Reprodução)

Filha de nobres, a ucraniana Helena Blavatsky, fundadora da Sociedade Teosófica, apresentou dons psíquicos desde criança.

Escritora, teóloga e filósofa, Elena Petrovna von Hahn (30 de julho 1831 – 8 de maio 1891) teve educação refinada e desde muito cedo mostrou-se rebelde e independente. O francês Louis Jacolliot, no século 19, parece ter sido o primeiro a batizar esse livro de “As Estâncias de Dzyan.” Desde àquela época, pode-se notar uma série de acidentes acontecidos com pessoas que pretenderam possuir esse livro. O certo é que foi com a ascenção e queda de Madame Blavatsky que a história desse livro apareceu em toda a sua extensão.

Em 1852, Blavastky voltou à India, rumou depois para Nova York e viveu novamente no oeste. Em 1855, novamente em Calcutá, de onde tentou entrar no Tibet, sendo violentamente impedida por autoridades inglesas.

A partir deste incidente começou a receber ameaças: se ela não restituisse o exemplar de “As Estâncias de Dzyan”, infelicidades se abateria  sobre ela. Com efeito, em 1860 ela caiu doente. Durante três anos perambulou pela Europa como se estivesse sendo perseguida.

Em 1870 voltou ao Oriente, a bordo de um navio que atravessou o Canal de Suez – que acabava de ser aberto. O navio explodiu. Diz-se que transportava pólvora para canhão, mas isto não está provado. A maior parte dos passageiros morreram nesta “acidente”, mas Madame Blavatsky escapou miraculosamente.

Foram muitos anos de aventura ou fuga,ela chegou até a dizer que o livro era inventado,uma fantasia apenas para ganhar dinheiro,mas esse relato de Helena foi após quase ter sido assassinada.
A importância da contribuição de Blavatsky foi reafirmar o divino, oferecendo caminhos de diálogo com a Ciência e tentando purgar a Religião institucionalizada de seus erros seculares, combatendo o dogma e a superstição, incentivando a pesquisa científica, o pensamento independente e a crítica da fé cega através da razão.

Conheça um pouco mais no video abaixo.




Até a próxima!
Amor,Gratidão e fé.




terça-feira, 23 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: Passo Dyatlov - O terror no gelo.

(Foto:Reprodução)
Os nativos tinham feito contato com Dyatlov antes da trilha começar, quando a expedição cruzara por várias das acanhadas vilas locais. Relataram-lhe que a montanha não era um lugar seguro. Os Mansi, em sua maioria, tinham medo do local. Kholat Syakhl, a exemplo da Otorten, tinha um pitoresco significado na língua nativa: "a montanha dos mortos".

Em 28 de janeiro, no dia seguinte, Yuri Yudin sentiu uma súbita dor nas costas de uma velha lesão que o acompanhava desde outras expedições - e deu-se conta de que, naquelas condições, jamais conseguiria completar a jornada. Decidiu abandonar o grupo, retornando a Sverdlovsk. Seria o único sobrevivente da expedição.

(Foto:Reprodução)

Despedida de Yuri Yudin, a 28/01/1959. Dyatlov observa o abraço entre ele e Lyudmila ao fundo.

Aqui começa esse mistério em torno da morte de nove pessoas  sete homens e duas mulheres em uma montanha da Rússia.

31 de janeiro, começou a escalada da primeira montanha da trilha. Eles subiram até o cume e depois desceram rumo a um vale, onde coletaram alimentos e provisões. No dia seguinte, dia 1º de fevereiro, continuaram a descer até a base da montanha. Nesse dia, uma nevasca diminuiu drasticamente a visibilidade e fez a temperatura despencar. Com a visibilidade comprometida, o grupo errou o caminho, e acabou se encaminhando para o  local que lhes serviria de sepultura: a montanha Kholat Syakhl. Quando perceberam o desvio de rota, era tarde demais. Optaram por acampar na encosta da Kholat Syakhl. Seria a última noite de suas vidas.

(Foto:Reprodução)

É aqui que as coisas começam a sair do comum. No dia 26 de Fevereiro de 1959 o grupo que os procurava se depara com o acampamento dos estudantes. Abandonado e quase soterrado pela neve. Ali, os primeiros sinais de que algo estava muito estranho: as barracas estavam cortadas, não rasgadas mas cortadas por uma faca, e pela direção das fibras, cortadas de dentro para fora. Haviam pegadas na neve em direção a um bosque próximo. Seguindo-as, as equipes de resgate encontraram os restos de uma fogueira embaixo de um grande pinheiro. E com ela, os dois primeiros corpos.

Esses dois primeiros estavam descalços e usando apenas roupa de baixo. Lembrando que o local costumava ter temperaturas na média dos -30° nessa época do ano. Logo depois, foram encontrados mais três corpos, enterrados pela neve. Os três pareciam estar voltando para o acampamento quando morreram. Os outros quatro corpos foram encontrados mais de dois meses depois, soterrados por mais de quatro metros de neve um pouco mais distantes do acampamento.Alguns corpos apresentavam fraturas no crânio e nas costelas SEM MARCA APARENTE de qualquer trauma na pele. Como se as pancadas ocorressem de DENTRO PARA FORA.

(Foto:Reprodução)

Ainda a respeito da barraca, consta no laudo oficial da polícia: "A inspeção da tenda mostrou que foi instalada corretamente e fornecia o devido alojamento para os turistas. Dentro da tenda, estão postos dois cobertores, encontrando-se também as mochilas, jaquetas impermeáveis e calças.

Mais tarde, a perícia determinaria que a barraca tinha sido rasgada, de dentro para fora, pelos próprios montanhistas, em uma desesperada tentativa de fuga,sabe-se lá de quê. 

Animais selvagens estiveram ali? Possivelmente. Caçaram e abateram os montanhistas? Certamente não.

O que aconteceu de fato com eles?

Força desconhecida, pé grande, alienígenas e roupas contendo radiação!

(Foto:Reprodução)

Georgy e Doroshenko foram os primeiros a ser encontrados, em 26 de fevereiro de 1959.

Doroshenko é o mais próximo da fotografia e está de barriga para cima. Tinha 1,8m de altura e era o mais forte. Coincidentemente foi o primeiro a morrer.

Georgy é o mais afastado da  fotografia e está de bruços. Ambos apresentavam inúmeras contusões e Georgy estava sem o nariz.

(Foto:Reprodução)

Igor, o líder da equipe, apresentava inúmeros arranhões, contusões e hematomas. Nada letal. Morreu de hipotermia.

(Foto:Reprodução)

Embora os cinco corpos morreram em posições que indicam uma tentativa de retornar à barraca, Zina foi a que chegou mais perto. Possuía um grande hematoma na região da cintura mas morreu de hipotermia.

Rustik só foi encontrado em 5 de março e autopsiado no dia 8. Apresentava múltiplas fraturas nos ossos do crânio como se tivesse se ferido com tudo o que esbarrasse pelo caminho. Estava enterrado na neve e os investigadores acreditam que era o único que tinha algum calor corporal, pois a neve abaixo dele derreteu e se transformou em gelo. 

A causa da sua morte foi a hipotermia.

Os outros quatro corpos que foram encontrados no dia 4 de maio, mais de dois meses depois, por um caçador Mansi. Estavam em um declive do terreno que, com a água do degelo de primavera, transformou-se em um pequeno riacho, acelerando a decomposição dos corpos. Apresentavam fraturas múltiplas de costelas como se tivessem sido atropelados por um automóvel, porém sem marcas externas. Lyuda foi a alpinista que mais sofreu. Estava sem os olhos e tanto a língua quanto parte da musculatura da boca haviam sido arrancadas. Uma das costelas perfurou-lhe o coração e foi a única alpinista que não teve como causa da morte a hipotermia.

(Foto:Reprodução)

Nenhuma teoria responde a todas as perguntas feitas. E como parte dos arquivos ainda está guardada a sete chaves como material "classificado", as causas das mortes continuarão um mistério. Durante os funerais, vários membros das famílias alegaram que a pele dos mortos estava com uma cor laranja estranha, e seus cabelos haviam ficado cinza. Além disso, nas medições foram encontradas alta radioatividade em várias peças de roupas analisadas, que por mais que estivessem na posse de outros, pertenciam a Lyudmila. Depois de apenas 4 semanas, a URSS finalizou o caso e concluiu que eles morreram devido a fúria da mãe natureza e que a causa oficial da morte é hipotermia, algo lógico ao ficar a 20 graus abaixo de zero. As fraturas de Lyudmila, Zolotarev e Thibeaux eram fatais, mas a hipotermia como causa final ou aceleração da morte não é descartada.

 O que pode aterrorizar um grupo de nove pessoas, acostumados a acampar em locais extremos e com grande força física? Eles não eram colegiais acampando com medo do escuro.

- Por que Ludmila foi encontrada sem a língua?

- Os ferimentos foram tão intensos que nenhum ser humano seria capaz de fazer. Quem fez?
Um de tantos mistérios sem explicação.

Até breve e caso queiram saber mais sobre esse caso,vejam o video abaixo.





Amor, Gratidão e Fé.



segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: A sonda Rosetta e sua viagem espacial.

O que é a Missão Rosetta ?

(Foto: Reprodução)

Missão Rosetta é um programa de pesquisa da Agência Espacial Europeia. Ela foi iniciada em novembro de 1993. O envio da sonda Philae até o cometa 67P é parte da Missão Rosetta.
A viagem da Rosetta começou em março de 2004.

Decolou da Terra lançada por um foguete Ariane 5, depois de duas tentativas fracassadas e um adiamento. A Rosetta levava consigo um robô pousador chamado Philae. O objetivo da missão era alcançar a órbita do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko para estudar sua composição. A viagem da nave até o cometa não foi direta porque não existe um foguete com tal potência. Por isso, foi tomando impulso gravitacional ao se aproximar de alguns planetas, como a Terra e Marte. A Rosetta teve que hibernar durante 31 meses porque viajava tão longe do Sol que não recebia suficiente radiação que a suprisse de energia.

O estudo dos cometas é fundamental para o entendimento de como a vida apareceu na Terra, porque são elementos fundadores do sistema solar. Ainda mantêm muitos dos componentes que estavam presentes na Terra na altura em que foi formada, e podem explicar o que levou ao aparecimento da vida no planeta.

Desde que foi lançada na época a  Rosetta resistiu 12 anos no espaço. Não foi construída para sobreviver a esta próxima etapa. Armelle Hubault explica que “a estrutura de um satélite é muito, muito leve e frágil. A Rosetta não foi de todo concebida para aguentar gravidade. É um satélite que orbita em torno de um cometa, é um corpo muito delicado. Vai acabar por esmagar-se no impacto.

Veja a foto da Terra tirada pelo Rosetta enquanto usava a gravidade para ganhar velocidade.

(Foto: Reprodução)

Que bela imagem!

E agora vamos descobrir 
O que é o 67P/Churyumov-Gerasimenko?

Ele é um cometa. Foi descoberto em 1969 por astrônomos soviéticos – Klim Churyumov e Svetlana Gerasimenko. O 67P foi batizado em homenagem a eles.

(Foto: Reprodução)

A imagem é na verdade uma das primeiras fotos tiradas do cometa. A região foi fotografada em 22 de setembro de 2014, apenas um mês e meio depois que a sonda da Agência Espacial Européia começou a orbitar o cometa. A imagem foi selecionada e processada pelo cientista Jacint Roger Perez, da Espanha, usando três imagens da câmera OSIRIS da espaçonave.

(Foto: Reprodução)

O fundo da imagem mostra as regiões de Babi e Aker e logo abaixo, o penhasco de Aswan, um precipício de 134 metros de altura que separa as regiões de Seth e Hapi. Uma observação subsequente em agosto de 2015 revelou que parte do penhasco havia desmoronado quando o cometa se aproximava do seu periélio, o ponto em sua órbita de seis anos, onde ele está mais próximo do Sol. Durante esse tempo, a atividade na superfície do cometa aumenta, o que pode alterar significativamente o terreno.

Apesar da visão de perto da imagem, Rosetta estava a aproximadamente 28,2 quilômetros da superfície quando a foto foi tirada. Naquela altitude, Rosetta foi capaz de fazer a imagem e estudar o cometa com detalhes extraordinários. Os 11 instrumentos científicos que compõem o seu arsenal foram usados para escanear a superfície do cometa, fazer uma sonda debaixo dela e estudar a poeira, gás e plasma que a cercam.

Em 30 de setembro de 2016, a Rosetta concluiu sua missão em pouso forçado no Cometa 67P / Churyumov-Gerasimenko (Abreviado para 67P). A sonda estudou o cometa por mais de dois anos, até os seus momentos finais.

‘Rosetta’ cumpre seu destino e morre em seu cometa.

Termino aqui e deixo vocês com essa imagem do lançamento da Rosetta e que em futuro não tão distante,todos possamos compreender melhor o espaço e tudo que há nele e quem sabe fazer uma viagem espacial de ida e volta claro.

(Foto: Reprodução)

Até logo e fiquem todos ligados aqui no fatos e curiosidades.

Amor, Gratidão e fé.






domingo, 21 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: O boneco do fofão - O mistério da adaga!


(Foto: Reprodução)

Todos sabemos que o brasileiro é um povo supersticioso  e curioso. Se você cresceu nos anos 80 e começo dos 90, este boneco é o responsável por uma das maiores lendas urbanas brasileiras daquela época.

Originalmente este personagem ganhou fama através do programa Balão Mágico, programa este televisionado pela Rede Globo e esteve no ar de 1983 à 1986. Mas devido ao sucesso do personagem, acabou ganhando um programa de TV somente dele, na Rede Bandeirantes e ficou no ar de 1986 até o ano de 1989.

Estamos falando da lenda do Fofão. Se você não viveu naquela época, é possível que tenha ouvido a respeito.Reza a lenda que o ator (Orival Pessini) que atuava como o Fofão teria feito um pacto com o diabo para que ele conseguisse fama e dinheiro, em troca, ele “levaria” o satanás para dentro de todas as casas dos que comprassem os bonecos.

Outra teoria diz que os fabricantes é que seriam os seres do imundo e que tinham o mesmo intuito, de levar o mal para dentro das casas das pessoas. Ainda segundo a lenda o boneco deveria ser destruído imediatamente, de preferência com o fogo.

Na época,o fabricante não tinha  o enchimento em fibra de poliéster como hoje, então enchiam com microesferas de isopor. Como esse material não  dava estabilidade no boneco, precisou desenvolver uma estrutura em que se fixava a cabeça e, posteriormente, a introduzia no corpo, com boneco já envasado com as microesferas.

Para facilitar o processo, essa estrutura tinha forma alongada, o que se assemelhava a uma adaga. Mas ela não era pontiaguda nem cortante, assim afirmou o criador do boneco.

(Foto: Reprodução)

Varias pessoas acreditaram nessa lenda, alguns se desfizeram do boneco. O criador do boneco foi o Sr. Deusenir Prieto, gerente de desenvolvimentos na Mimo, que o fabricou no anos 80!

A lenda foi tão marcante que a revista Mundo Estranho de Outubro de 2015, quase depois de 20 anos depois do lançamento do boneco, trouxe como matéria de capa "Brinquedos Assassinos - As lendas urbanas dos bonecos do Fofão e Xuxa. Annabelle e outras maldições da vida real.

O parque com pacto demoníaco que matou seis; E muito mais!". Adivinha quem era o boneco da capa? Fofão, segurando um punhal.

(Foto: Reprodução)

Orival Pessini, foi quem deu vida ao Fofão e diversos outros personagens, morreu no dia 14 de outubro em São Paulo, vítima de um câncer. A família do ator, nascido em Pompeia em 1944, acompanhou de perto a luta dele contra a doença.

Em 2015 foi lançado o DVD #FofãoForever,recentemente, em 2016, o boneco do Fofão foi relançado pela empresa Anjo Brinquedos de Laranjal Paulista-SP.

É isso meus leitores, realmente existiu um punhal, mas era apenas a sustentação do boneco e não pacto demoníaco como muitos pensaram na época ou talvez não né, quem sabe realmente 100% de uma história?

Até o próximo domingo comigo no fatos e curiosidades.

Amor, Gratidão e fé.






quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: Penitenciária de Cariri - Espíritos presos à Terra, após a morte?

(Foto: Reprodução)

Esse temível lugar, localizado no Ceará, especificamente em Juazeiro do Norte, já foi alvo até mesmo de um massacre em massa de mulheres. Ao qual resultaram em uma série de relatos posteriores de gritos de dor, gemidos e sussurros femininos.

Algo assustador só de contar para vocês...

Os presos e funcionários da prisão juram que já viram as portas e as janelas se abrirem e fecharem sozinhas, declaram também que ouviram sons de passos e choro de lamúria. Eles falam que esses choros que escutam são oriundos das mulheres que foram assassinadas pelos homicidas presos. Esses sons acontecem principalmente durante a noite.

Muitos policiais que trabalham na penitenciária contam que durante a ronda pelos corredores, dizem que ouvem passos atrás de si e no momento que viram para olhar, não há nenhuma pessoa.
Não são apenas policiais que afirmam terem visto ou ouvido coisas do além. Os detentos confirmam tais histórias. Portas e janelas se fecham sozinhas, sem qualquer influência do vento, sussurros são ouvidos claramente - principalmente, à noite -, choros, lamentações e pedidos de socorro.

Não são poucos os policiais que dizem ter ouvido passos atras de si quando andam pelos corredores. Quando olha para trás, ninguém é visto. Há um comentário alegando que até as câmeras de segurança da central de monitoramento já tiveram a oportunidade de captar vultos. Porém, como as imagens são confidenciais e, por sua vez, não foram disponibilizadas na internet, isso não pôde, até agora, ser confirmado.

Há uma teoria, até agora a mais aceita entre os populares da região, que acredita que os espíritos que rondam o local e assombram a todos diariamente são de vítimas que foram assassinadas pelos presos do local. Portanto, se essa for a verdade, será impossível ter ideia de quantos espectros habitam a penitenciária.

(Foto: Reprodução)

As pessoas que lá estão presas, trabalham na confecção de joias, bolas de futebol e na marcenaria, em troca de redução na sentença dos presos. Um lugar assim cheio de dor,mortes e muitas barbaridades só podia ocorrer fenômenos sobrenaturais.

No caso de mortes violentas como acidentes e assassinatos, podemos resumir assim:
não perceber que desencarnou e continuar agindo como se estive entre nós ainda, até que no momento propício possa ter o esclarecimento por parte dos Bons Espíritos (nunca ficamos sozinhos). Ficar psicologicamente preso ao momento do desencarne, ou seja, num grande sofrimento, para tentar evitar o que aconteceu, numa tentativa de se salvar.

 Neste caso ocorre como uma “fixação” do pensamento naquele momento, e o espírito fica preso, num processo de perturbação e sofrimento sem notar que desencarnou e ficar confuso (perturbação normal no momento do desencarne). Muitas vezes fica pensando que se trata de um pesadelo e que logo despertará.

Adormecer e ser atendido diretamente em postos ou instituições de socorro no plano espiritual, ser despertado suavemente e esclarecido.

Todos devem saber que os espíritos precisam ir ao plano espiritual e jamais devem ficar aqui na Terra presos a nós e a vida que viveram.

Seja qual for o tipo de morte que uma pessoa tiver, a única coisa que o seu espírito precisará, é do conforto das preces e da aceitação daqueles que aqui ficaram. A morte só existe para o corpo físico porque o espírito é imortal. Deus não tem nenhum dos seus filhos morto. Confiemos mais na nossa imortalidade, pois com ela tudo mudará em nós.

Enfim,o mistério sobre os gritos e lamentações continuam por lá.

Até a próxima...

Amor, Gratidão e Fé.








quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: DESMOND DOSS - O herói que salvou 75 vida na 2ª Grande Guerra

(Foto: Reprodução)

Desmond nasceu no dia 7 de fevereiro de 1919 na cidade de Lynchburg, na Virgínia (EUA). Desde cedo ele já demonstrava ser extremamente empático; ainda na infância, ele andou nove quilômetros para doar sangue a uma vítima de um acidente.

Sua repulsa em relação a armas de fogo começou quando seu pai, bêbado, sacou uma arma durante uma discussão com seu tio.Nessa ocasião, a mãe de Desmond lhe pediu para pegar a pistola (uma calibre .45) e escondê-la em algum lugar seguro.

Visto que naquela época o norte-americano já frequentava a Igreja Adventista do Sétimo Dia, ele prometeu para si mesmo que jamais tocaria em uma arma novamente — promessa que, por mais incrível que possa parecer para alguém que serviu ao exército, foi cumprida com êxito.

Ao completar 18 anos de idade, Desmond se alistou às Forças Armadas e passou a trabalhar nos estaleiros de Newport News. Com a explosão da Segunda Guerra Mundial, foi convocado para lutar

— mas sua insistência em não carregar armas ou matar pessoas causou estranheza em seu esquadrão.

BATALHA SANGRENTA

Foi no dia 5 de maio de 1945 que Desmond se tornaria o herói que todos conhecem. Na batalha da Escarpa de Maeda, como ficou conhecido o conflito ocorrido em Okinawa (Japão), o exército japonês esperou até que toda a tropa ocidental estivesse cruzando a planície para iniciar seu ataque, atirando e lançando morteiros contra os soldados. Os militares estadunidenses foram massacrados em poucos segundos.

Felizmente, eles tinham Desmond. O médico, em pleno campo de batalha, tratou das feridas de seus colegas enquanto arriscava sua própria vida. Banhado em sangue alheio, ele fez torniquetes, aplicou técnicas de primeiros-socorros e carregou seus amigos até as bordas do cume, deslizando-os cuidadosamente para um lugar seguro. Em aproximadamente 12 horas de trabalho ininterrupto, Desmond salvou 75 vidas.

(Foto: Reprodução)

Desmond não tinha amigos. Seus colegas no campo de treinamento o consideravam inútil, arremessavam botas enquanto ele rezava em seu bunker e o sobrecarregavam com tarefas ingratas aos domingos, visto que, aos sábados, ele se recusava a trabalhar para respeitar o descanso sagrado previsto em sua religião. Mesmo com tantos obstáculos, Desmond continuava firme e forte em suas convicções.

Além de uma medalha de honra, Desmond ganhou um presente curioso de seus oficiais após a conquista americana naquele território: sua bíblia, que carregava consigo desde o seu ingresso no Exército e que havia sido perdida durante uma das batalhas. Seus amigos vasculharam toda a área até encontrar o tomo, que foi devidamente devolvido ao herói.

(Foto: Reprodução)

Desmond morreu em 2006 aos 87 anos, após ser internado com problemas respiratórios.
São histórias como essa que nos inspiram a ser pessoas melhores e de coração humilde e mãos estendidas para ajudar o próximo.

Que a atitude de Desmond motive cada pessoa a fazer o bem por amor e em meio a uma dor,ele escolheu não matar,não ferir e sim ajudar da maneira que sabia e podia naquele momento.

Amor, Gratidão e fé.


terça-feira, 16 de outubro de 2018

Fatos & Curiosidades: Círio de Nazaré - Amor, devoção e fé.



(Foto: Reprodução)

Nos dias atuais ouvimos muito falar na “força de acreditar”. A perseverança é uma característica impressionante do ser humano e imprescindível para qualquer cristão. Aquele que persevera é constante, mesmo que as circunstâncias sejam adversas.

A promessa é um compromisso que firmamos com Deus, para rogarmos que Ele escute nossas preces e atenda algum pedido necessário ao nosso bem-estar ou à nossa sobrevivência. Em troca, prometemos louvor, devoção e uma espécie de “sacrifício” para provar nossa gratidão e honrar o nome do Senhor. Filhos que pedem por suas mães, pais desesperados que recorrem aos santos para curar doenças na família, devotos que procuram emprego, paz ou reconciliação…
São muitos os motivos que levam as pessoas a pedirem ajuda divina.

No Círio de Nazaré essas promessas são dirigidas à mãe de jesus,para que por meio dela e por seu amor maternal todos os pedidos sejam ouvidos e  atendidos levados por ela à seu filho Jesus Cristo e assim então a Deus.

(Foto: Reprodução)


Início da devoção no Brasil

A devoção por Nossa Senhora de Nazaré em território brasileiro foi uma herança de Portugal, e começou na cidade de Vigia, no nordeste do Pará. Mas o início do que viria a ser o Círio aconteceu no ano de 1700, em Belém, quando o caboclo Plácido José dos Santos andava pela antiga estrada do Utinga, atual avenida Nazaré, e viu às margens do igarapé Murutucu (que era localizado atrás do que hoje é a Basílica) uma pequena imagem da virgem Maria. Ele a levou para casa, a colocou em um dos cômodos e foi dormir. No dia seguinte, ao procurar a imagem, constatou que ela havia sumido. Surpreso, Plácido retornou até o igarapé e a reencontrou no mesmo lugar que estava no dia anterior.

Plácido, então, imaginou que este fosse o desejo da santa, e decidiu construir uma pequena capela para a imagem. Com o tempo, a notícia do “milagre” se espalhou e atraiu diversos habitantes da cidade que, de curiosos, passaram a fazer parte do grupo de fiéis devotos a Nossa Senhora. A cada ano, aumentava o número de pessoas que procuravam a imagem milagrosa e, ao alcançar suas graças, retornavam até a cabana do caboclo para ofertarem ex-votos, objetos de cera representando membros do corpo humano, muletas ou retratos, forma utilizada pelos fiéis para demonstrar o reconhecimento pelos pedidos atendidos.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

A procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré é sempre no segundo domingo de outubro, esse ano dia 14, mas as celebrações tem início na terça-feira, dia 09/10, com uma missa solene. Na quinta, 11/10, acontece a Missa de apresentação do manto. Na sexta-feira, 12/10,  a imagem é levada aos moradores dos municípios de Marituba e Ananindeua, em um trajeto de 55 km.

No sábado, 13/10, a imagem segue até o distrito de Icoaraci, de onde parte a romaria fluvial conhecida como Círio das Águas. Na chegada de barco até a capital, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré é recepcionada por motociclistas, que a escoltam até o Colégio Gentil Bittencourt, na Avenida Magalhães Barata. À noite, após a missa, uma nova comitiva conduz a imagem até a Catedral da Sé, com milhares de fiéis segurando velas. Quase todas as casas, estabelecimentos comerciais e públicos são decorados com o tema da festa.

Com ilustração de rosas e borboletas, o cartaz faz referência ao tema do Círio deste ano: “Uma jovem chamada Maria".

(Foto: Reprodução)

A imagem da Virgem de Nazaré fica exposta por mais 15 dias na Basílica. Então, se você quiser, pode dar uma esticadinha da viagem para poder conhecer o local com mais tranquilidade.O Círio de Nazaré é considerado o maior evento religioso do país e um dos que mais reúne fiéis em todo o mundo. Só para ter uma noção, a festa do Círio é tão importante em todo o estado do Pará que pode ser comparada a celebração do Natal.

A primeira procissão oficial do Círio foi realizada em 1793.

A tradição do Círio marca 226 anos de devoção mariana em Belém.

(Foto: Reprodução)

Tenha FÉ, CREIA, AGRADEÇA, CONFIE.

O poder está na fé, na caridade e na transformação do espírito.

Não importa a religião, não importa a Igreja, o que importa é a fé. Deus é um só, nós e que somos muitos e sem ele, não somos nada !

Leônia Teixeira.

(Foto: Reprodução)

Venham conhecer Belém e sentir de perto o poder do amor e da fé de cada um que acompanha o Círio de Nazaré.

anote essas dicas e prepare-se para andar muito!

Fazer uma boa alimentação antes de sair de casa;

- Usar roupas leves e confortáveis;pois em Belém faz muito calor.

- Beber água antes e durante a procissão, para evitar casos de desidratação.

- Importante usar roupas leves (de preferência de algodão) e evitar jeans.

A duração da romaria é uma controvérsia entre os fiéis. Já houve um Círio de Nazaré que durou dez horas. Foi o de 2004, que chegou ao ponto final (a Praça Santuário) às 16h. E já houve outros que chegaram antes do meio-dia.

Pra fechar o calendário, tem ainda a missa de encerramento às 19h30 na Basílica Santuário e o Espetáculo Pirotécnico. Este é um momento bastante aguardado e pode ser visto de longe, de vários bairros de Belém. Ele começa às 21h na Praça Santuário.

(Foto: Reprodução)

Eu vou indo e deixo vocês cobertos pelo manto sagrado da mãe de jesus e seguros pela proteção de Deus.

Amor, Gratidão e fé.