quinta-feira, 20 de junho de 2019

Quem lembra do pedinte que ficava ali pela Av. Pres. Vargas desde o final dos anos 70 até meados de 2000?



Conhecido como "Toquinho", ele era bastante mal humorado até com as pessoas que doavam um valor baixo, como pedinte criou um patrimônio incluindo uma vila de casas. Muitas histórias o cercam, como ele era um notório boêmio, dizem que ele fechava a zona do meretrício quando queria farrear. Outra história famosa foi quando o jogaram bêbado nas águas de Outeiro "confundido-o" com uma tartaruga. O pedinte que acabou tornado-se uma figura folclórica de Belém, infelizmente faleceu há alguns anos. Na foto, um registro dos seus últimos anos de pedinte, tirada em 05/03/2004 por Jan Sochor.

Fonte: Estado do Pará Online 

terça-feira, 18 de junho de 2019

Frozen 2: Anna e Elsa buscam desvendar o passado em primeiro trailer



Ansiosos para ver o retorno de Anna (Kristen Bell), Elsa (Idina Menzel), Olaf (Josh Gad), Kristoff (Jonathan Groff) e Sven? The past is in the past? Nada disso, Let It go.


A Disney revelou o novo trailer de Frozen 2, mostrando as novas aventuras das amadas irmãs, dessa vez perambulando fora do reino de Arendelle. As imagens mostram Elsa aprendendo a usar os seus poderes de transformar água em gelo. No meio disso, um Troll aparece e afirma que a princesa precisa descobrir sua verdadeira origem ao investigar o passado.


“Nós sempre tivemos medo de os poderes de Elsa serem muito para esse mundo. Agora nós temos que torcer para eles serem suficientes”, diz ele. Que comecem (mais) teorias de fãs!


Oscarizados após o sucesso "Let It Go", Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez voltam com canções inéditas, enquanto o filme é novamente dirigido por Jennifer Lee e Chris Buck. Frozen 2 tem lançamento previsto para novembro nos Estados Unidos, mas só estreia no Brasil em 2 de janeiro de 2020. 





FONTE: MSN

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Show reúne músicos no lançamento do CD póstumo de Leandro Dias

Leandro Dias morreu em 2017, antes de finalizar o disco que será lançado nesta quinta-feira (Divulgação)

Show "Leandro Dias Vive"
Data: quinta-feira, 13, às 20h
Local: Theatro da Paz (Avenida Presidente Vargas, S/N)
Ingressos a R$30 pelo ticketfacil.com.br e na bilheteria do teatro
Informações: (91) 981148889

Premiado nos EUA, 'Amazônia Groove' explora sons típicos da região no Pará

Manoel Cordeiro em frame do documentário Amazônia Groove, de Bruno Murtinho (Reprodução)

Amazônia Groove (estreia)
Dir: Bruno Murtinho
Documentário
Cinépolis Boulevard 7 (2D): 16h10 e 20h20

Show 'Um ser de luz' faz homenagem a João Nogueira e Clara Nunes

Nega Rô e João da Hora vão interpretar as grandes canções de João Nogueira e Clara Nunes (Divulgação)

Show 'Um Ser de Luz'
Data: quinta-feira, 13, às 21h
Local; Bar Municipal. Rua Municipalidade, bairro Umarizal.
Informações e vendas antecipadas: 981444431

Projeto Territórios pela Paz é instalado no bairro da Cabanagem

Foto: Elielson Modesto / Ascom Segup


Com um efetivo de mais de 180 agentes, o Sistema de Segurança Pública e Defesa Social (Sieds) deu início, nesta quarta-feira (12), as ações de prevenção e ostensividade na Cabanagem, em Belém. O local é o primeiro dos sete bairros que receberão o Territórios pela Paz (Terpaz), que é coordenado pela Secretaria de Articulação e Cidadania e já soma 116 projetos envolvendo todas as 27 secretarias e órgãos púbicos do Estado, que trabalharão de forma conjunta.

Neste primeiro dia, oito mandados de prisão foram cumpridos, com uma pessoa presa, além de duas prisões efetuadas pelo crime de furto de energia. Um adolescente foi encaminhado para a Divisão de Atendimento (Data), por ter sido encontrado com 17 trouxas de entorpecentes. A presença das forças policiais permanecerá no bairro, promovendo também o policiamento comunitário e de aproximação com a população.

Equipes do Corpo de Bombeiros deram instruções de como prevenir acidentes domésticos e realizar primeiros socorros
Foto: Elielson Modesto / Ascom Segup

Paralelo a isso, foram emitidas carteiras de identidades gratuitamente aos moradores na Delegacia de Polícia do bairro. Instruções de como prevenir acidentes domésticos e atendimentos de primeiros socorros foram feitos pelo Corpo de Bombeiros Militar, na Associação de Apoio Comunitário da Cabanagem. Alunos do projeto Escola da Vida, já desenvolvido no bairro, também fizeram demonstração de como proceder em casos de acidente.



Cidadania – A moradora do bairro, Raimunda Barreto, esperava a volta do filho da escola para ir até a delegacia para tirar o Registro Geral da criança. "É muito importante, tudo hoje pede a documentação, então vim logo aqui que está sendo rápido e fácil de tirar", contou. Nos próximos sábados, dias 15 e 22 de junho, 150 cédulas serão ofertadas aos moradores. Tudo de forma gratuita.

O Departamento de Trânsito do Pará (Detran) atuou em ações educativas e de fiscalização. Entre as ações desenvolvidas estavam a operação Tróia, que fiscalizou veículos para identificação de irregularidades administrativas, clonagem, adulteração veicular, por exemplo, além da abordagem educativa em estabelecimentos comerciais.

Ualame Machado falou das etapas do TerPaz, que já soma 116 projetos envolvendo todas as 27 secretarias e órgãos do EstadoFoto: Elielson Modesto / Ascom Segup

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Ualame Machado, o projeto inicia com a chegada das forças policiais, que terá a sua atuação divida em dois momentos.



"Essa é a fase de ocupação, demonstrar que o poder público chegou ao bairro e que ele vai permanecer. O choque operacional é o ingresso de forma mais intensa com cumprimentos de mandados, prisões sendo efetuadas, investigações sendo agilizadas, para que nós possamos preparar o local para que os serviços cheguem até o bairro. A partir daí, os próprios agentes de segurança pública terão um contato com a sociedade, que é fundamental. É necessário que os moradores possam, cada vez mais, confiar no trabalho da polícia, para que possamos ajudar e trazer a paz para todo mundo", explicou.

De acordo com o comandante-geral da PM, coronel Dílson Júnior, a polícia já estava atuando no bairro desde janeiroFoto: Elielson Modesto / Ascom Segup

A PM já atua, desde o início do ano, com a massificação de agentes e ações de segurança na Cabanagem. "Desde 1º de janeiro, os números apontam uma redução nos crimes cometidos no bairro, refletindo a presença dos agentes que estão ganhando, a partir de hoje, o reforço do Comando de Missões Especiais (CME), do 24º Batalhão de Polícia Militar, que cobre a área, e do Batalhão Águia, que realiza o policiamento em motocicletas", ressaltou o comandante-geral da PM, coronel Dílson Júnior.



Cronograma – A chegada do reforço policial cumprirá um calendário até alcançar os sete bairros elencados para integrar os Territórios pela Paz. No próximo dia 26, o aparato de segurança será instalado no Icuí, em Ananindeua; no dia 12 de julho, no bairro Nova União, em Marituba, nos dias 6 e 28 de agosto, no Benguí e Terra-Firme, respectivamente; no dia 23 de setembro, no Guamá; e 16 de outubro, no bairro do Jurunas.

"Estamos proporcionando a presença intensa dos órgãos de segurança pública no bairro, para que depois possam vir às ações sociais, que é o grande objetivo do projeto Territórios pela Paz", finalizou o delegado-geral, Alberto Teixeira.

Os quase 200 agentes de segurança púbica estão empregados em 62 viaturas, entre quatro e duas rodas, além do helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública.

Por Aline Saavedra (SEGUP)

Concurso Estadual de Quadrilhas anima o Centur


Começa neste sábado, dia 15 de junho, o XVI Concurso Estadual de Quadrilhas Juninas, programação que faz parte do Arraial de Todo o Pará promovido pelo Governo do Estado através da Fundação Cultural do Pará e que inclui a apresentação de folguedos juninos, como cortejos de boi-bumbá e de máscara, cordões e grupos de pássaros, apresentações de grupos de carimbó e parafolclóricos além de shows musicais. Toda a programação é gratuita e aberta a toda a família.

Concurso Estadual de Quadrilhas – Considerado como um dos mais tradicionais concursos de quadrilhas do Pará, neste ele ano vai contar com a participação de 100 grupos inscritos por meio de edital, divididos nas modalidades adulta e mirim, de Belém e do interior do estado, que vão se apresentar nas duas semanas de Arraial (confira aqui a grade de apresentações).

Programação infantil – Na quadra junina a criançada também recebe atenção especial dentro da Biblioteca Pública Arthur Vianna. O espaço infantil da BPAV oferece, a partir do dia 11, uma série de atividades voltadas para a preservação da cultura junina no imaginário lúdico dos pequenos. Teatro, brincadeiras cantadas, pescaria literária, contação de histórias e oficina de brinquedos populares estão entre as atrações do espaço, que ocorrerão de manhã e de tarde (clique aqui para acessar a agenda completa).

Serviço: Arraial de Todo o Pará - XVI Concurso Estadual de Quadrilhas
Local: Sede Fundação Cultural do Pará (Av. Gentil Bitencourt, 650 - Batista Campos, térreo do Centur)
Data/Horário: De 15 a 30 de junho, a partir das 19h
Entrada franca

Foto: Agência Pará

A realidade dos povos africanos na tela Cine Olympia


Divulgar a realidade dos povos africanos, especialmente no que se refere à sua cultura e vida cotidiana. Esse é o objetivo da II Semana do Cine Africano que a Casa de Estudos Brasil-África da Universidade Federal do Pará, em parceria com a Aliança Francesa e o Cine Olympia, oferece ao público paraense no período de 13 a 19 de junho, com entrada gratuita.

A II Semana do Cine Africano foi programada após o sucesso da primeira edição, realizada em maio deste ano, em comemoração ao Dia da África. As sessões irão ocorrer às 18h30, de terça a sexta, e às 16h30, no sábado (15) e no domingo (16), no Cine Olympia, em Belém.

Nesta edição, serão apresentados filmes de diferentes nacionalidades, sendo um longa-metragem e um curta diferentes por dia. A programação é uma oportunidade ímpar de conhecer mais sobre esses países aos quais estamos fortemente ligados.

Os filmes escolhidos para esta amostra foram:  “Madame Brouette” e “Para Nós nas Ruas” (13/06); “Jon e a História de um Povo” e “Dona Esther” (14/06); “Minga e a Colher Quebrada” e  “Atlânticos” (15/06); “Férias em Casa” e “Pequena Luz” (16/06); “Exame de Estado” e “Souko” (18/06) e  “Tabataba” e “O Retorno” (19/06).

Serviço: II Semana do Cine Africano
Data: de 13 a 19 de junho de 2019 (não haverá exibição no dia 17)
Horários: Terça a Sexta, às 18h30, e sábado e domingo, às 16h30
Local: Cine Olympia (Av. Presidente Vargas, 918 – Campina)
Entrada Franca

Com informações da Assessoria de Comunicação da UFPA
Arte: Prointer / Ufpa

Remo defende liderança frente ao São José (RS)


A 8° rodada da Série C do Campeonato Brasileiro começa nesta quinta-feira (13). Remo e São José (RS) se enfrentam no estádio Passo D'Areia, às 20h. Líder do grupo e o único time invicto da competição, o Leão pode aumentar a vantagem no 1° lugar e consolidar uma vaga no g-4 neste primeiro turno. 

O técnico azulino, Márcio Fernandes, tem dois desfalque confirmados em relação ao último jogo - o volante Yuri, suspenso por ter recebido três cartões amarelos, e o meio-campista Douglas Packer, com lesão grau 1 no músculo adutor da coxa direita. Ainda não há confirmação de quem serão os substitutos. Como visitante no campeonato, o Remo tem campanha de dois empates e uma vitória em três jogos. 

O São José (RS) perdeu apenas uma das sete partidas na Série C e ocupa a 3° colocação na chave com 10 pontos somados. Os gaúchos ainda não perderam como mandante - são dois triunfos e um empate. O Zeca possui uma ausência: o meio-campista Rafael Tavares, expulso no jogo frente ao Boa Esporte. É o primeiro confronto das duas equipes na história. 

Prováveis escalações

São José: Fábio; Márcio Lima, Rafael Goiano, Bruno Jesus e Dudu Mandai; Tiago Pedra (Machado), Karl e Xuxa; Matheuzinho (Everton Júnior), Cláudio Maradona e Luiz Eduardo. Técnico: Rafael Jaques

Remo: Vinícius; Daniel Vançan, Fredson, Marcão e Rafael Jansen; Dedeco (Djalma), Ramires e Guilherme Garré; Carlos Aberto, Gustavo Ramos e Emerson Carioca. Técnico: Roberto Fernandes

Foto: reprodução 

segunda-feira, 10 de junho de 2019

Hugh Grant diz estar "velho, feio e gordo" para comédias românticas


© Getty Images

A carreira de Hugh Grant em Hollywood fez-se, sobretudo, pela participação em comédias românticas. No entanto, aos 58 anos, o ator lamenta ter-se repetido tanto nos papéis que aceitou e confessa que não tem interesse em dar vida a mais personagens do género.

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, Grant revelou que não se revê mais nesse tipo de papéis. "Fiquei muito velho, feio e gordo para fazer [esses filmes]", afirmou.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Anvisa quer regulamentar maconha para uso farmacêutico e científico

© Pixabay


BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Prestes a entrar em debate na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a proposta de dar aval para o cultivo de maconha no país deverá ter foco na pesquisa e produção de medicamentos, sem que haja espaço para outros produtos, afirmou à Folha de S.Paulo o diretor-presidente da agência, William Dib.


"Precisa ficar claro o seguinte: não estamos liberando a Cannabis, mas liberando medicamentos à base de Cannabis", disse. "Ah, mas cigarro [de maconha] é bom para cefaleia [dor de cabeça].' Não pode. Essa forma de administração não vai existir. Se quiser xampu à base de cannabis, também não terá."

Na próxima semana, diretores discutirão a possibilidade de submeter à consulta pública duas propostas de resoluções: uma que regulará o plantio de Cannabis no Brasil para pesquisa e outra com regras para registro de medicamentos, pós-registro e monitoramento desses produtos.

Hoje, o plantio de Cannabis é vetado no Brasil. Desde 2006, no entanto, a lei 11.343 prevê a possibilidade de que a União autorize o cultivo "para fins medicinais e científicos, em local e prazo predeterminados, mediante fiscalização".

O novo debate, assim, representa o primeiro passo para a regulamentação do tema, o que poderá aumentar o espaço para o uso medicinal da maconha no país.

O objetivo, de acordo com Dib, relator das propostas, é facilitar o acesso a pacientes que hoje buscam aval da agência para importar medicamentos à base da planta.

"Fazendo essas duas regulações, a população vai ter acesso a um remédio mais seguro, de melhor qualidade e a preço menor do que hoje. Além disso, vamos abrir espaço a mais medicamentos."

Desde 2015, a Anvisa autoriza pedidos para importação de óleos e medicamentos à base principalmente de canabidiol –substância da maconha que tem alguns efeitos terapêuticos e não é psicoativa, ou seja, não dá "barato".

Alguns dos produtos, porém, podem ter também uma menor concentração de THC (tetrahidrocanabinol), esse, sim, que gera efeitos psicoativos e tem ganhado atenção em pesquisas de saúde.

Ao todo, 6.789 pacientes já obtiveram o aval para importar produtos com canabidiol, condicionado a documentos e laudos médicos. As doenças mais frequentemente tratadas são epilepsia, autismo, dor crônica, doença de Parkinson e alguns tipos de câncer.

O problema, porém, é que os custos são altos. Um tratamento por três meses chega a R$ 2.000, o que tem feito crescerem as ações judiciais para que planos de saúde e no SUS forneçam os produtos.

Daí, segundo Dib, a necessidade de regular o tema. "É um processo que vai ser baseado na segurança do paciente, de quem já faz uso e de quem possa vir a fazer, dependendo de prescrição médica."

Ainda assim, os remédios "não serão para tudo nem para todos", afirma. Segundo ele, a ideia é que o processo resulte na liberação de medicamentos e extratos de derivados da Cannabis apenas para doenças em que esse tipo de tratamento tiver evidências clínicas de eficácia em determinadas concentrações.

"Até porque não acredito que Bombril e suas mil e uma utilidades exista na medicina", compara.

Atualmente, o Brasil tem apenas um medicamento registrado à base de Cannabis: o Mevatyl, produto composto por canabidiol e THC e indicado para tratamentos de espasmos para pacientes com quadro de esclerose múltipla. Mas, além do uso restrito, o custo também é alto: em torno de R$ 2.600 a embalagem.

Para Dib, com o aval ao cultivo, o Brasil poderá aumentar o número de medicamentos e, por consequência, baixar os preços.


Para que isso ocorra, o plantio e produção serão restritos a empresas, que devem obter um tipo de licença especial. "Como todas que mexem com produtos de saúde, será preciso apresentar um projeto que será aprovado antes de se instalar e abrir as portas."

A ideia é que haja cotas de produção, em modelo semelhante ao praticado hoje em outros países, como o Canadá, onde o cultivo é autorizado e monitorado pelo governo.

Ele nega que haja possibilidade de abertura para uso recreativo e diz que a proposta vetará também qualquer abertura para produção por pessoas físicas, ainda que haja a justificativa de uso medicinal.

Nos últimos anos, cresceu o número de famílias com aval na Justiça para cultivo da Cannabis. Dib, porém, vê problemas nesse processo.

"Ninguém tem condição na sua casa de dosar o que tem de canabidiol, de THC, e nem de dosar a quantidade que seu filho pode usar. Isso não é chá de boldo, em que tomar um pouco a mais ou um pouco a menos que não vai mudar muito. Precisa de conhecimento e dosagens científicas."

Mas como garantir que a produção pelas empresas não tenha desvios?

"É conta de matemática: haverá cotas de produção e, com base nisso, eu sei que ali produzimos mil caixinhas. Com isso, ou eu tenho mil receitas, ou tenho alguém que vai ser preso", responde ele, que diz que a Polícia Federal já acompanha os debates e deve participar da fiscalização. "Não seremos irresponsáveis."


A previsão é que os medicamentos desenvolvidos sejam submetidos a regras específicas de análise e aprovação para registro, aval necessário para que sejam comercializados no país. Um dos pontos, afirma, é a possibilidade de cobrança de estudos de monitoramento, aos quais a renovação do registro estaria condicionada.

Já nas farmácias, os remédios devem ser produtos controlados e ter a receita médica retida.

"O controle vai coincidir com a implementação do nosso projeto de rastreabilidade [que prevê que cada caixinha tenha uma espécie de 'RG' monitorado da indústria ao consumidor]. Vou saber quem produziu, quem transportou e onde está a caixinha."

Segundo ele, universidades que desejarem fazer pesquisas com a planta também terão essa possibilidade, desde que atendam a regras e requisitos de segurança. Apesar da maior aceitação ao canabidiol, não haverá restrição ao tipo de substância a ser pesquisada para produção de remédios.

"Estamos regulando a planta. Isso porque determinadas patologias não se dão como controladas só com o canabidiol, e precisam de uma quantidade de THC, além de outras substâncias", diz.

Em 2017, o então diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, chegou a declarar que a agência pretendia apresentar uma proposta de regulamentação sobre o tema no mesmo ano, o que não ocorreu.

Dib admite que o tabu em torno do tema acabou atrasando o processo. Outro fator, diz, foi assegurar a segurança e evitar que a proposta fosse desvirtuada para outros fins que não o uso medicinal.

"O debate agora está mais maduro. Conseguimos aprender com o Canadá, com Israel e com Portugal um modus operandi seguro de plantio."

A apresentação completa da proposta está prevista para reunião na terça (11). Se aprovada, segue para consulta pública por 90 dias. Em seguida, a agência analisará contribuições para redação final.

Para Dib, a expectativa é que a consulta seja aprovada por unanimidade segundo análise feita pelos diretores.

ATRITO

O tema deve ser alvo de atrito com governo, que tem adotado postura mais rígida em relação às drogas.

Nesta quinta (6), o presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que altera a atual política de drogas. Entre as medidas, o texto dificulta a alta de pacientes submetidos à internação involuntária. Também reforça modelos baseados em abstinência e a postura de repressão ao tráfico –Bolsonaro vetou trecho que previa penas menores a depender do volume apreendido e circunstâncias do caso.


"Mas os assuntos não são correlatos", afirma o diretor-presidente da Anvisa, William Dib. "O que a Anvisa está propondo não tem nada a ver com isso. Ela não trata do que é consumido ilegalmente. Tanto é que nossa conversa é com o Ministério da Saúde, porque quem paga hoje boa parte dessa conta maluca [de fornecer medicamentos à base de Cannabis por ação judicial] é o SUS. E paga duas vezes: paga mal, o produto é ruim, o acesso é ruim", diz.

No último mês, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, disse em rede social que a Anvisa era "irresponsável" por querer liberar o plantio de Cannabis no Brasil: "Contra a lei, contra as evidências científicas e contra o Congresso e o Governo brasileiro!".

A posição foi defendida pelo Conselho Federal de Medicina, para quem ainda não há evidências consistentes de eficácia e segurança do uso de alguns canabinoides –desde 2014, o conselho, porém, autoriza que médicos prescrevam o canabidiol.

Em resposta, Dib diz que o receio é por achar que o acesso para uso medicinal seria à planta, o que é vetado na proposta. "A hora que entenderem o projeto, o número de pessoas que serão contrárias vai ser bastante reduzido. Ele trata única e especificamente de medicamentos", diz. "Se o governo um dia quiser liberar a Cannabis, o ópio, a coca, isso é problema de governo, não é problema da Anvisa. Não vamos nos intrometer nisso."

E se o governo tentar barrar? "Eu insisto que o processo é responsabilidade da Anvisa", diz. "É a Anvisa que tem que aguentar 9.000 pedidos de Cannabis e que vê pai chorar porque dizem que demoramos 40 dias para liberar a [autorização para importar]."

Além da saúde, diz, ele diz ver na medida potencial econômico. "Mas o que importa para nós é o doente e o acesso ao medicamento. Não é justo a população e classe médica acreditarem que há remédios a base de Cannabis que podem ser utilizados e a Anvisa criar dificuldade de acesso."

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Galaxy Note 10 poderá ter dois tamanhos diferentes


© DR

Um rumor compartilhado pelo 'Android Police' voltou a apontar para a possibilidade do Galaxy Note 10 ter dois modelos com diferentes tamanhos de tela.


Este rumor já vinha circulando já há algum tempo, com uma fonte próxima da Samsung entrando em contacto com a publicação para reforçar que haveria uma possibilidade para o lançamento.

Vale lembrar que, ao contrário do que acontece com os smartphones pertencentes à linha Galaxy S que são lançados em diferentes versões, os Galaxy Note têm vindo sempre em um único modelo.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Claudia Leitte vai dar uma pausa na carreira

© Reprodução / Instagram


Grávida no sétimo mês de gestação, cantora Claudia Leitte está à espera de sua filha, Bella, fruto de seu casamento com o empresário Márcio Pedreira.


No entanto, agora a artista anunciou que dará uma pausa na carreira para se dedicar ao nascimento da filha e da maternidade. Claudia fez sua última apresentação em Trancoso, na cidade de Porto Seguro, no sul da Bahia, onde após sua apresentação confirmou ao site 'BNews' que irá se afastar dos palcos por um tempo.Nas redes sociais, a cantora revelou que voltará aos palcos no segundo semestre deste ano, quando começará uma nova turnê: "Agora só tem tour nova depois que Belinha nascer. Valeu!", escreveu a cantora.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Facebook planeja lançar criptomoeda no início de 2020

© Shutterstock


A'BBC News' revelou que o Facebook planeja lançar a sua própria criptomoeda no primeiro trimestre de 2020, com o anúncio oficial que será feito ainda este ano.


A criptmoeda do Facebook tem, por enquanto, o nome de ‘GlobalCoin’ e começará ser testada no final de 2019 com o objetivo de limar as últimas ‘arestas’ e garantir pagamentos online mais acessíveis e seguros.

A publicação britânica também destaca que o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, reuniu-se com o governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, para explicar as oportunidades que podem vir a surgir com esta criptomoeda.

Fonte: GLOBALCOIN

Cantor viraliza ao publicar vídeo de show apenas com seus pais na plateia e recebe apoio de famosos

Fotos: instagram @mariliamendoncacantora e @gabrielsmaniotto

O cantor Gabriel Smaniotto, 23, chamou a atenção neste final de semana ao publicar no Twitter um vídeo em que aparece no palco se apresentando apenas para os seus pais.

"Obrigado pai e mãe por ser meu único público no show de ontem (e os bombeiros)", escreveu o cantor. Em pouco tempo, a publicação viralizou e Smaniotto recebeu apoio de diversos famosos, como Marília Mendonça, Kauan (dupla de Matheus) e Mumuzinho.

"Já fizemos show assim mano, só tinha nossa mãe, nosso irmão e nosso tio! E era suficiente pra gente continuar acreditando no nosso sonho. Eles nos deram força e acreditaram! Pode ter certeza que mesmo que não tinha ninguém lá no dia, mas eles estavam orgulhosos de você e felizes por te ver fazendo o que você ama ! Sucesso. Aparece pra cantar com a gente qualquer dia no show nosso", escreveu Kauan, em resposta ao cantor.

"Gabriel, aonde eu estiver, meu palco é seu", apoiou Mumuzinho. Mendonça também convidou o jovem a participar de seu show: "Ae Gabriel. Considere-se convidado a participar do meu show... Deus te abençoe", escreveu a cantora.

Smaniotto também recebeu diversos novos seguidores e foi apoiado por artistas como Tatá Werneck, Felipe Araújo, MC Pocahontas, Maisa e MC Bin Laden. "Já passei por isso muitas vezes", disse Tatá.

Depois da repercussão do vídeo de Smaniotto, o cantor foi convidado para abrir um show de Fernando e Sorocaba. A cantora Maiara, namorada de Fernando, fez inclusive um vídeo ao lado de Gabriel.

"Olha com quem estou aqui. Gente, sou fã dele. Quer dizer que hoje vou ver ele cantando. Não vai ser só sua mãe e seu pai, vai ser eu também", brincou a cantora sertaneja.



Fonte: Folhapress

Namorada de Rafael Miguel relata último encontro com o ator

© Reprodução /Facebook


Isabela Tibcherani, namorada de Rafael Henrique Miguel, ator assassinado no último domingo, 9, usou suas redes sociais para lamentar a morte do companheiro e pedir respeito pelo momento de luto. O casal namorava há um ano e dois meses. O assassino, que seria o pai de Isabela, também matou os pais do jovem ator.



Em uma publicação no Facebook, a jovem de 18 anos compartilhou imagens do último encontro que teve com o namorado: "E ontem a gente se reencontrou, depois de meses, apenas sonhando com esse momento, contando os segundos, os dias. E aconteceu. O melhor dia das nossas vidas, de longe. Dá pra ver pelo nosso olhar, nesse momento éramos só você e eu, em meio a todas aquelas pessoas, não tinha mais nada além de nós dois".

Em outro trecho do texto, Isabela relata o sofrimento que está vivendo, mas promete se lembrar do namorado para sempre: "Tá muito difícil de assimilar mas eu quero pensar em você como o homem iluminado que é, o homem que me orgulha, que me fez a mulher mais feliz do mundo. Lutamos juntos, até o final. Mas não é o fim, meu príncipe, jamais será. Eu vou honrar nossa história, vou realizar nossos sonhos, todos que eu puder! Eu jamais amei alguém como amo você. E jamais amarei outro", disse.

Na madrugada desta segunda-feira, 10, a jovem publicou mais mensagens em seu perfil na rede social. "Só queríamos ser livres pra amar, sem medida", escreveu em uma nova postagem. Em outra, pede respeito pelo momento de luto: "Peço, encarecidamente, que respeitem esse momento. Antes dele ser uma figura pública, ele era um ser humano. O ser humano mais maravilhoso que existiu. Atacar a mim e aos restantes familiares e amigos não vai trazer ninguém de volta. Tenham compaixão".

O crime

Rafael Henrique Miguel tinha 22 anos e foi morto com os pais dentro da casa da namorada neste domingo, 9, no bairro da Pedreira, na zona sul de São Paulo. O ator, o pai, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e a mãe, Miriam Selma Miguel, de 50, foram recebidos pela garota e a mãe dela. De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública, durante a conversa, o pai da menina, o comerciante Paulo Curpertino Matias, de 48 anos, chegou ao local armado e disparou contra as três vítimas e fugiu.

Fonte: ESTADAO

Velório de ator de Chiquititas e família reúne centenas de pessoas em SP


Fotos: Reprodução @rafaelmiguelreal

O velório do ator Rafael Miguel, 18, e dos pais, João Alcisio Miguel, 52, e Miriam Selma Miguel, 50, mortos neste domingo (9), reuniu centenas de pessoas no Cemitério do Campo Grande, na zona sul de São Paulo.




A namorada de Rafael, familiares, vizinhos, fãs e ex-colegas de elenco do ator estiveram presentes. 

Prima de Rafael, Maria do Carmo Viana relatou que o suspeito do crime, Paulo Cupertino Matias, 48, era muito possessivo com a filha, namorada do ator. Chegava a impedir que fosse para a escola e se relacionasse com amigos. 

A suspeita da polícia é de que o assassinato tenha sido motivado por ciúmes. 

Ela conta que Rafael e os pais haviam ido até a casa da namorada do rapaz para mostrar que "eram uma família boa" e que não fariam mal a ela. Diz que a família do ator sempre a acolheu. "Ela teve com a família do Rafael o que não tinha em casa", diz a parente.
A prima também negou que a jovem estivesse grávida e pediu justiça. O suspeito está foragido. "Ele precisa ser preso. Se acreditamos em justiça, em Deus, tem que ser preso. Não morto, mas ser preso", diz. 
O ator Filipe Cavalcante, 19, que interpretou o personagem Rafa, foi um dos colegas de elenco presentes. Ele chegou a ser alvo de notícias falsas no domingo que apontavam que ele e a família haviam morrido –houve confusão por causa do nome do seu personagem.
Conta que se conheceram no workshop de "Chiquititas". "Olhei para ele e pensei: conheço ele de algum lugar. E lembrei do comercial do brócolis [Rafael era o menino que pedia para a mãe comprar a verdura no supermercado]. Ele deu um sorriso tímido e confirmou."
O rapaz conta que o amigo era uma pessoa "tímida, mas extremamente divertida" e muito próximo à família, principalmente à irmã mais nova, hoje com 13 anos, que costumava visitá-lo nas gravações e era a queridinha do elenco. 
A atriz Giulia Garcia, que interpretou a personagem Ana, diz que ele era muito carismático e que, apesar de se verem muito pouco após o fim da novela infantil do SBT, foi importante por ter feito parte da sua vida. "Morreu de uma forma muito trágica", diz ela, que, no começo, achou que se tratava de outra fake news. 
Mãe de Giulia, a empresária Adriana Garcia, que conhecia os pais de Rafael, diz que a família era muito unida e batalhadora. 
"O pai levava o Rafael para o SBT quando estava desempregado. A mãe vendia cachorro quente para pagar a faculdade dele", conta. "Eram muito batalhadores. Ele queria ser ator, o sonho dele era ser famoso, e faziam de tudo por ele."



A namorada de Rafael entrou pelos fundos do cemitério e não falou com a imprensa ao chegar ao local. Mais cedo, fez uma publicação em uma rede social na qual escreveu que os dois só queriam "ser livres para amar".
Uma longa fila se formava na entrada do velório. Seguranças tentavam organizar as pessoas e pediam para que evitassem tumulto. Além do velório da família, outro também era realizado no mesmo horário. 



O velório começou no início da tarde e o enterro está marcado para às 16h.
Rafael e os pais foram mortos a tiros na tarde deste domingo enquanto chegavam à casa da namorada do rapaz, no bairro Pedreira (zona sul de SP). O suspeito fugiu.

Fonte: Folhapress

DESTAQUES